Presenteísmo: o inimigo da produtividade no trabalho

Se antes apenas os problemas pessoais já tinham a capacidade de deixar as pessoas com a mente longe do foco no trabalho, hoje, trabalhando a maior parte do tempo na modalidade home office, em um cenário de pandemia, a concentração e a produtividade sofreram muito mais.

O fenômeno de estar de corpo presente, mas com a mente desconectada, se chama “presenteísmo”, um termo ainda pouco conhecido, mas que afeta grande parte dos trabalhadores sem que eles percebam.

De acordo com pesquisas, estudos e profissionais ligados à Psicologia, eventos que provocam estresse e preocupação podem agravar, de forma severa, o quadro de presenteísmo. Com isso, a pessoa é tomada por um pensamento de auto-pressão, onde ela se cobra excessivamente a ser produtiva e focada e, no final das contas, não consegue desempenhar suas atividades rotineiras de trabalho.

Saiba como identificar os sinais do presenteísmo no dia a dia do seu colaborador ou até mesmo no seu:

  • Queda no nível de engajamento interpessoal: se antes o funcionário conversava bastante, interagia com as dinâmicas do grupo e hoje se encontra mais calado, pode ser um sinal;
  • Erros em tarefas cotidianas: quando, por falta da capacidade de atenção, a pessoa começa a errar coisas simples que antes não errava;
  • Excesso de procrastinação.

Alguns fatores também podem intensificar o quadro de presenteísmo, como:

  • Estar passando por problemas pessoais ou de saúde;
  • Demanda excessiva de trabalho;
  • Excesso de cobranças e pressão;
  • Insatisfação com o trabalho, com o cargo, com o clima organizacional ou com as funções atribuídas;
  • Assédio moral.

Se, depois desse artigo, você desconfiou que alguém da sua equipe pode estar sofrendo com o presenteísmo, ótimo! O primeiro passo para ajudar já foi dado.

Mas, ainda assim, algumas atitudes podem contornar a situação e trazer o foco do seu colaborador de volta para o trabalho, como: investir em formas de reconhecimento, plano de carreira e benefícios, como ofertar uma cesta de alimentos Domicili, por exemplo. Além disso, converse com a pessoa para estimulá-la a fazer dinâmicas que façam a energia circular e tragam prazer, como: exercícios físicos, meditação, atividades de lazer e, não menos importante, se consultar semanalmente com um terapeuta.

Diga não ao presenteísmo e cuide-se!